Por CODE-NGO, membro de Forus nas Filipinas

CODE-NGO aposta na amplitude e profundidade de sua rede para advogar. Com as 12 redes-membros (RMs) representando 1.600 organizações da sociedade civil (OSC), a CODE-NGO é considerada efetivamente uma das maiores redes pelos parceiros da academia, do governo, e de outras OCSs. Mas como uma rede tão ampla trabalha em conjunto com advocacias comuns? Este era o escopo dos Grupos de Trabalho de Advocacia (GTAs), os quais estão institucionalizados na rede da CODE-NGO desde 2018.

Os GTAs são compostos por membros da CODE-NGO e seus representantes. O grupo realiza planos e atividades relacionadas à sua advocacia. Em 2017, a rede CODE-NGO ratificou no 6º Congresso o plano de estratégia de 2018 a 2022 que identifica 5 prioridades advocatícias, sendo elas: 1) Reforma de Ativos; 2) Boa Gestão das OCS; 3) Redução de Risco de Desastre e Adaptação a Mudanças Climáticas; 4) Governança Local Participativa e 5) Paz.

Para impulsionar a ativação dos GTAs, a CODE-NGO é apoiada por um projeto nacional em parceria com Forus, com suporte financeiro da Agência de Desenvolvimento Francesa e da União Europeia a partir de dezembro de 2018 até junho de 2020. As principais atividades implementadas com esse apoio incluem o planejamento de comunicação dos 5 GTAs. Cada GTA formulou mensagens e estratégias de comunicação baseadas em seus respectivos planos de advocacia, que devem ser realizáveis dentro da duração dos projetos. 

Elaborar um plano de comunicação e priorizar mensagens-chave não é uma tarefa simples considerando que a maioria dos defensores na rede possuem diferentes pontos de vista sobre como "comunicar" suas campanhas. Os defensores perceberam que lobby e diálogo formam uma parte dos muitos aspectos das campanhas de comunicação, especialmente na era das mídias sociais. Além das ferramentas disponíveis se encontra a estratégia de comunicação da mensagem que deveria ser planejada. 

Tanto na advocacia quanto na comunicação, o objetivo é mudar o comportamento, tal como interromper ou aprovar um projeto de lei, erradicar condutas como assédio e corrupção, ou promover outras como inclusão e participação. 

Para alcançar este objetivo, defensores se preparam aprendendo sobre sua plateia ou grupo alvo, e moldando suas abordagens para se adequarem às necessidades, gostos e comportamentos da plateia. O plano de comunicação foca em mensagens dirigidas para públicos-alvo, identificando o "mensageiro" que pode ser uma pessoa ou um grupo. O processo do planejamento de comunicação se tornou um processo de autodescoberta conforme revimos quem nós somos, o que representamos, e como aparecemos perante nossos parceiros.

Até o momento desta publicação, os GTAs estão mais ativos do que nunca em tempos de crise. Embora a mobilidade esteja limitada fisicamente, a tecnologia mantém os GTAs conectados e permite de tentarem novas formas de advogar através das várias plataformas de reuniões online e aplicativos de mensagens. Os GTAs poderão continuar seus trabalhos ao mesmo tempo que assumem novas abordagens na "nova normalidade" - trabalhos de lobby mais personalizados, consultas através da internet, fóruns online e webinars. Os workshops de planejamento de comunicação deixaram claro aos GTAs que priorização é a chave e que saber quem é o público e o mensageiro resultam em um plano de advocacia eficaz. Isso tudo pode ser aplicado ao se navegar pelo novo normal de hoje e de amanhã.