A diretora de Forus, Sarah STRACK, juntamente com outros líderes de redes e plataformas da sociedade civil, compartilharam suas observações e reflexões, identificando possibilidades de abordar a COVID-19 em uma série de artigos intitulada O Futuro da Sociedade Civil, facilitada por ICVA (International Council of Voluntary Agencies).

por Sarah STRACK

A crise causada pela COVID-19 é uma evidência sem precedentes para sociedades, tomadores de decisões e comunidades, e leva a resiliência do mundo aos seus limites. Suas consequências já afetaram tantas pessoas, muitas vezes de forma dramática, e não há como prever a duração e a magnitude dos desafios futuros.

As notícias se transformaram em uma avalanche de índices deprimentes - e à medida que tentamos lidar com a escala dos impactos na saúde, a sombra implacável da pandemia e os abusos concomitantes se desdobram: a violência contra mulheres e meninas se intensificou, a desflorestação na Amazônia aumentou, a criminalização dos movimentos sociais e os ataques a ativistas continuaram, e cada vez mais pessoas estão relutantes em falar sobre os impactos e a gestão da pandemia pelas autoridades, por medo de represálias.

Não podemos ficar de braços cruzados por causa disso.

E não vai ser assim. As pessoas são mais resilientes quando confrontadas com grandes desafios. O potencial criativo, o poder organizador, o sentimento de solidariedade que surgiu em muitas comunidades onde, apesar da distância física, foram forjados laços mais profundos - tudo isso é incrivelmente inspirador. As OSC e as plataformas de OSCs mostraram mais uma vez que estão na vanguarda das lutas de hoje, construindo redes de apoio e respondendo às necessidades dos mais vulneráveis e das muitas pessoas para as quais as instituições governamentais parecem tão desligadas de sua realidade.

Isso me dá um forte senso de esperança e uma energia incrível. Sinto-me humildemente impressionada pela força, dedicação e compaixão que vemos todos os dias. Colocar as pessoas no centro é a única maneira de sair desta crise de forma significativa, construindo um caminho de esperança, um caminho de mudança positiva e transformadora.

Este pode ser um ponto crucial para a humanidade; cabe-nos a nós estarmos do lado certo da história.

Para isso, é preciso reconstruir melhor, colocando as pessoas em primeiro lugar, e não o lucro. Devemos desenvolver, apropriar e implementar um novo contrato social entre as pessoas, os governos

e a economia real. Um contrato que coloque as pessoas em primeiro lugar e lance as bases para sociedades justas e sustentáveis. Um contrato que não seja voltado para o futuro, mas que abrace a diversidade, a igualdade e a solidariedade global. Um contrato em que se intensifica a ação urgente sobre as mudanças climáticas e a proteção do planeta, e não apenas promessas vazias ou tímidas medidas incrementais.

Se não for agora, quando?

Forus e seus parceiros continuarão a trabalhar em estreita colaboração e a unir forças na medida do possível para enfrentar a crise atual. As plataformas nacionais e regionais têm uma perspectiva única e proporcionam um espaço inclusivo para estimular iniciativas conjuntas, para exigir e responsabilizar os tomadores de decisões e para garantir que as palavras sejam cumpridas através de acções.

Isto é necessário não apenas para responder imediatamente à crise, mas também para abordar tendências de longo prazo - todas as partes interessadas precisarão de trabalhar para criar um ambiente propício para que a sociedade civil desempenhe plenamente o seu papel. Seja de uma perspectiva legislativa, política ou de recursos. Processos verdadeiramente participativos serão a única forma de garantir que a agenda de transformação que precisamos possa ser desenvolvida, possuída e implementada em conjunto.

Se há uma coisa que está clara hoje, é que vamos precisar de ainda mais cooperação para construir um futuro seguro e resiliente.

Pode ler a série completa de artigos aqui 🔗 https://bit.ly/3dzm26M
Não se esqueça de participar do workshop sobre este tema no dia 17 de junho de 2020.  Mais informações aqui