O membro canadense de Forus, o Conselho Canadense de Cooperação Internacional (CCIC), realizou um webinar em 30 de janeiro para lançar a terceira edição de um documento independente que avalia em profundidade os 46 Relatórios da Nacionais Voluntarios (Voluntary National Review, VNR, na sigla em inglês) submetidos ao Fórum Político de Alto Nível (HLPF) em 2018.
Este relatório foi encomendado a várias organizações da sociedade civil, incluindo ActionAid International, Action for Sustainable Development (A4SD), Arab NGO Network for Development, Bond, Conseil Canadien pour la Coopération Internationale (CCCI), Catholic Agency for Overseas Development (CAFOD), Forus, International Institute for Sustainable Development, Sight Savers, Together 2030, World Vision International e Worldwide Fund for Nature UK.
Além da análise dos VNRs de 2018, o informe fornece informações e sugestões úteis sobre como governos, organizações da sociedade civil e outras partes interessadas podem melhorar seus esforços para implementar a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. ser implementado com sucesso a nível nacional.
O relatório identifica dez pilares considerados essenciais para a implementação efetiva da Agenda 2030. Também reconhece as boas práticas emergentes e apresenta uma série de conclusões e recomendações sobre como os países podem melhorar sua implementação da Agenda 2030 e usar o HLPF como uma oportunidade para aprendizagem entre pares, troca de conhecimento e apoio.
O relatório também faz recomendações sobre como os países podem melhorar seus relatórios para o HLPF, encontrando e construindo sobre as diretrizes voluntárias do Secretário-Geral da ONU para relatórios conjuntos dos NRVs. É importante ressaltar que o documento compara a evolução dos relatórios de VNR ao longo do tempo através de uma comparação da análise do VNRs em 2016 e 2017 e as conclusões de 2018.
As principais conclusões do relatório incluem:
1. A maioria dos países fez progressos na implementação e elaboração de relatórios sobre metas de desenvolvimento sustentável, incluindo o estabelecimento de mecanismos institucionais de implementação e a integração de metas de desenvolvimento sustentável nas políticas nacionais.
2. Mais avanços são necessários para colocar em prática os elementos básicos dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que incluem estruturas de governança, arranjos institucionais, políticas e meios de implementação.
3. O envolvimento das partes interessadas deve ser reforçado, para além das medidas ad hoc: embora exista um claro aumento do desejo de incluir os intervenientes não estatais nas consultas sobre VNR, muito poucos relatórios sobre VNR fornecem informações sobre os processos formais usuais de engajamento das partes interessadas.
4. Houve pouco comprometimento com o potencial transformador da Agenda: muito poucos países declararam uma participação ativa nos elementos mais transformadores da Agenda 2030, como uma abordagem baseada em direitos humanos. ou a importância de reconhecer limites planetários.
5. Esforços direcionados para não deixar ninguém para trás ainda não estão recebendo atenção suficiente: a maioria dos países fornece informações sobre os esforços para não deixar ninguém para trás, mas apenas 35% fizeram um relato detalhado dos esforços para cumprir concretamente o compromisso de não deixar ninguém para trás.
6. Os Estados-Membros ainda não beneficiam plenamente dos VNRs: existem lacunas nas lições aprendidas ou áreas em que os países se beneficiariam da construção de experiências e desafios na implementação.

Durante o evento, Deirdre de Burca, Coordenador de Incidencia Politica, representou Forus no webinar. Ela explicou aos participantes que desenvolver as capacidades dos membros é uma atividade essencial da rede. Ela ressaltou que a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável apela à sociedade civil para que fortaleça significativamente sua capacidade de monitorar e implementar efetivamente a agenda. Ela descreveu a abordagem de Forus a partir de quatro vertentes de sua estratégia de desenvolvimento de capacidades, que incluem:

(i) Política e Incidência Politica: Forus desenvolveu um documento de síntese intitulado "Construindo a capacidade da sociedade civil em nível global para garantir a implementação efetiva da Agenda 2030" (ver documento aqui), que foi lançado em HLPF 2017. Este documento de incidência politica apela a uma abordagem abrangente para o reforço da capacidade das organizações da sociedade civil em todo o mundo através da criação de uma arquitectura internacional de institutos de desenvolvimento de capacidades, think tanks e plataformas. on-line apoiado por um sistema global de financiamento para o desenvolvimento de capacidades. Forus continua a realizar atividades de incidência relacionadas a essa importante proposta.
(ii) Pesquisa: Forus analisou os VNRs submetidos ao HLPF pelos governos em 2017 e 2018 e identificou a frequência com que os governos se referiram ao desenvolvimento de capacidade nesses VNRs e que tipo de desenvolvimento de capacidade eles apoiavam em seu país (por exemplo, : a sociedade civil foi o publico alvo de algum programa?) Os resultados desta pesquisa contribuirão para o desenvolvimento de um documento de incidência politica para o desenvolvimento de capacidades da Forus, a ser publicado no HLPF 2019.
(iii) Financiamento: Forus fornece fundos para seus membros por meio de retrocessos que fornece para projetos nacionais, muitos dos quais relacionados a atividades de capacitação.
(iv) Desenvolvimento de Capacidades: Forus garante o desenvolvimento contínuo das capacidades de seus membros em áreas como desenvolvimento e proteção de liderança. Forus também começou a coordenar com outras redes como a Ação para o Desenvolvimento Sustentável (A4DS) e a rede da TAP este ano para realizar workshops de capacitação para OSC nos níveis nacional e regional relacionados à participação. para processos VNR.

O webinar foi um grande sucesso e atraiu mais de 130 pessoas. Outros eventos para promover o informe estão previstos nos vários fóruns regionais das Nações Unidas sobre desenvolvimento sustentável, que serão realizados entre março e maio deste ano. Forus também trabalhará com a Action for Sustainable Development e outras redes para desenvolver uma carta política que os membros nacionais possam usar para enviar a seus governos e informá-los sobre o relatório e os resultados deste ano. Para mais informações sobre esta carta de advocacia, entre em contato com Deirdre de Burca em Deirdre@forus-international.org.

Abaixo você podera encontrar os links para o resumo e a versão completa do relatório* no site da Forus:

Full Report (English) I  Executive Summary (English)  I  Key Findings (English)
Sommaire (français)  I  Principales conclusions (français)  
Resumen ejecutivo (español)  I  Principales conclusiones (español)

*Em breve, serão disponibilizadas versões em arabe e português.