Feito em Abidjan, em 29 de dezembro de 2019,
pela CSCI (Convenção da Sociedade Civil Ivoriana),
O Coordenador Nacional - Mahamadou Kouma

© CSCI (Convenção da Sociedade Civil Ivoriana)

A CSCI, com grande preocupação nas últimas semanas, observa o ambiente político e social tenso na Costa do Marfim. Essa atmosfera lamentável, sempre causada pelos atores políticos do nosso país, causa desconforto social e psicose generalizada a ponto de criar, nas populações, incerteza e desespero, neste final de 2019.

A CSCI segue com especial atenção a evolução dessa atmosfera preocupante. Se não tomarmos cuidado, as questões de poder correm o risco de comprometer o jogo democrático em 2020. "O caso Soro Kigbafori Guillaume" hoje em dia, que é uma ilustração perfeita, continua a poluir o quotidiano das nossas corajosas populações, que aspiram apenas ao bem-estar e à paz, um pré-requisito para qualquer desenvolvimento.

Tudo acontece como se fôssemos amnésicos?

A classe política da Costa do Marfim não pode aprender com o seu triste passado tão distante, mas tão próximo?

A política tem como objetivo servir-se a si mesma, servir ou escravizar as populações?

Fiéis às suas missões e aos seus valores de consciencialização e zelo, a CSCI desafia principalmente a classe política, na sua total responsabilidade, a manter a coesão social e a paz na Costa do Marfim.

Além disso, apela urgentemente:

Ao Presidente da República, Chefe de Estado e Pai da Nação:
- A fazer prevalecer, é claro, o Estado de Direito, mas também, e acima de tudo, a favorecer todos os meios possíveis para preservar a harmonia social e a paz, assim como o seu pai espiritual, Félix Houphouët-Boigny, apóstolo da paz que faz da paz uma segunda religião a ponto de preferir, com seu corpo defensor,· « «a injustiça à desordem».
 
Aos atores políticos para:
- Saber manter a razão, seja qual for a nobreza e a legitimidade das suas ambições;
- Entender que o objetivo de qualquer ação política é servir humildemente os homens, todos os homens e o homem''
- Colocar precisamente os melhores interesses da nação e das populações acima das suas aspirações e interesses pessoais e partidários.

Aos atores da sociedade civil:
- Perseguir incansavelmente a sua nobre missão de educação, sensibilização das populações e advocacia junto das autoridades públicas. E isso a favor da paz e do bem-estar de todos.

Às populações:
- Endossar esse belo reflexo do moralista Bertrand Russell, que parafraseamos: vamos aprender a viver juntos como pessoas inteligentes, correndo o risco de morrer coletivamente como idiotas.