26 representantes de Organizações da Sociedade Civil (OSC) passaram por um workshop de formação com o tema "Envolvimento das Sociedades Civis no avanço da Agenda 2030 no Butão". O workshop teve como objetivo familiarizar as OSC com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), permitindo que elas avaliem suas próprias contribuições direcionadas aos objetivos e iniciem uma coalizão com vista a monitorar e reportar. O workshop de 4 dias foi organizado pela Helvetas Bhutan em coordenação com a ADA.

Esse ateliê de 4 dias foi oferecido às OSCs butanesas após um convite da Helvetas Bhutan para compartilhar experiências da ADA relacionadas a formação e capacitação em Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Começamos fornecendo o histórico dos ODSs através de um exercício de narração para capacitar os participantes e contextualizar os ODSs em forma de história.

Os participantes tiveram introduções a várias interconexões temáticas (ODSs) e à abordagem de nexo. Eles conheceram o mecanismo de acompanhamento e revisão (FuR pelas siglas em inglês - Follow up and Review) em níveis nacional, regional e global e o papel das OSCs no envolvimento com seu respectivo governo através de Relatórios Nacionais Voluntários (RNV) a nível nacional, aprenderam sobre mecanismos existentes na Ásia (Fórum Ásia-Pacífico sobre Desenvolvimento Sustentável (APFSD), o papel de instituições da ONU, como a Comissão Econômica e Social das Nações Unidas para a Ásia-Pacífico (ESCAP), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD)), o Fórum Político de Alto Nível (FPAN), e a associação de outros mecanismos existentes, como o G20, com ODS a nível global.

Ao final do programa de formação, os participantes realizaram um planejamento de ação estratégica (SAP) em seus respectivos grupos. Esse exercício teve como objetivo planejar e posicionar a estratégia de sua própria organização nos próximos meses, à parte de seu papel e envolvimento no processo nacional, e vincular ambos. O SAP será utilizado como mecanismo de acompanhamento não apenas do treinamento, mas também de um plano de ação mais visível para cada indivíduo e organização.

Resultados:

· Os participantes puderam entender os vínculos entre vários temas dos ODS que os ajudaram a contextualizar seu trabalho e a entender o elemento de direitos humanos em cada objetivo.
· Eles se sentiram confiantes ao escrever os relatórios paralelos das OSCs para destacar as lacunas e desafios na revisão e implementação/monitoramento dos ODS e apresentar o resultado ao governo, além de outras medidas de incidência.
· Saíram da zona de conforto para debater e discutir as questões, que não fazem parte do seu trabalho normal, através da aprendizagem entre pares.
· Os participantes se sentiram confiantes ao se engajar no mecanismo de implementação e monitoramento dos ODS nacionais e servir como instrutores da população em seus respectivos distritos.

Destaque

Um deles narrou: "Antes, não entendíamos nada sobre os ODS nas reuniões com o governo ou com as Organizações Internacionais Não Governamentais (OINGs). Agora, poderemos discutir com eles com maior confiança e conhecimento no assunto e interagir com nossas comunidades".